Turismo em Lisboa, Palmela e Alentejo. Segunda semana no INETE

 Como mencionei em meu blogue anterior, visitei Palmela e Alentejo junto com a professora Fernanda quem é a diretora do INETE. Primeiro fui a Palmela onde tirei algumas fotos de mim no Castelo de Palmela, o qual tinha umas agradáveis vistas e um monton de restos antigos como também pude conhecer um pouco da história de Palmela.






Mas antes disso fiz uma parada na praia e comi torta de azeitão que é uma pequena sobremesa, muito rica.  



Depois ao outro dia visitei Alentejo, comi num restaurante da zona e depois passei um pouco pelas casas que tinham um estilo que me fez lembrar um pouco a minha cidade natal. Pude também conhecer um pouco da vida das pessoas de Portugal, sentei-me a conhecer algumas histórias e depois regressei a Lisboa. 




Mencionarei que a metade da viagem cambiei de hospedagem, num sítio muito agradável onde conheci gente de várias partes do mundo, a comunicação de novo foi fluida devido à variedade de línguas e guardei um carinho a muita gente que contavam-me suas histórias de viagem. 

Como justo na segunda-feira foi dia feriado, tive um dia livre que aproveitei para caminhar por Lisboa e fazer turismo. Passei por muitos lugares, a começar pelo mirador de Santa Lucía que tinha umas vistas incríveis do qual desfrutei de tirar fotos.





Depois caminhei um rato até que cheguei à Catedral de Lisboa, a entrada custou-me 4 euros. A minha opinião valeu a pena dar uma olhada, as antiguidades como as vistas são dignas de apreciar.





Ali fiz uma rota até chegar a Praça do Comércio onde fiquei um bom tempo apreciando a arquitetura e a vista ao mar tão de perto. Havia uma pequena praia e aproveitei para estar ao sol e descansar os pés. Continuei a caminhar até que entrou-me fome e detive-me a comer algo num local onde probei bacalao. 





Depois de ali fui ao Castelo de São João, a entrada por ser menor de 25 anos custou-me menos pelo que só paguei 5 euros. As vistas eram preciosas e incríveis. Enquanto revisei o lugar e a arquitetura notei que o lugar estava cheio de pavões azuis que estavam a caminhar em liberdade pelo lugar e que por suerte logrei ver com suas alas abertas. Terminei minha viagem com umas vistas do castelo onde era apreciado quase toda Lisboa. 





Sobre meus estudos no INETE, os companheiros sobretudo dois que gostavam muito do espanhol guiaram-me em todas as aulas que eu não entendia. Aprendi muitas coisas novas como também foi um reto adaptar-me a um tipo de horário diferente ao que eu conheço mas foi um desafio bem tomado. Tanto os professores como os companheiros tentavam integrar-me o tempo que fiquei ali, inclusive participando em aulas. 




Pessoalmente foi uma grande experiência para mim, apesar de ir eu sola a Lisboa ao final conheci muita gente que me acompanhou em tudo o viagem do qual guardo-lhes grande carinho.  


Comentarios

Publicar un comentario